segunda-feira, 31 de outubro de 2011

DIA DA REFORMA PROTESTANTE

No dia 31/10 os cristãos protestantes não devem promover o Halloween. Pelo contrário, precisam rememorar o Dia da Reforma Protestante, um movimento iniciado por Martinho Lutero (sem desabonar os pré-reformadores) no início do século XVI. Foi neste dia, no ano de 1517, que o sacerdote agostiniano afixou suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg protestando contra diversos pontos da doutrina romana, propondo uma reforma no catolicismo, em especial quanto as indulgências. Em 2008 um querido irmão líder protestante fez a poesia abaixo para relembrar a importante data da Reforma Protestante. Leia. Espero que goste.
Se viam os homens que traziam um clamor
Brado que liberta e que traz a paz:
“É tua viva Palavra que nos satisfaz”!
Súplica que emergiu de um coração
Monge da fé, da justificação,
Seu nome é Lutero, que cria e relia:
“O justo só viverá é pela fé”!
Dia feliz é o dia das piedosas teses
Das noventa e cinco em Wittenberg
Porta de proposições profundas e de fé
Reforma protestante, é o que o clamor quer.
“Igreja reformada sempre reformando”
Lema de vida dos protestantes;
Cristo, a Palavra e os sacramentos:
Nossos tesouros mais importantes.
Igreja pós-moderna lembre-se bem,
Deste dia feliz, da reforma que se fez,
Valorize esta história que tem muito a ensinar
E a vida de seus líderes, exemplos para imitar.
Agradecemos-te, Deus, pelo o intervir do Senhor,
Providência divina que transforma o pecador,
Faça de nós, Igreja de Cristo,
Povo que segue as teses do amor.

Prof. Angelo M. Moreira da Rocha – adaptado original do "xará" Rev. Ângelo Vieira da Silva

AO TERMINAR O MÊS DO PANAMERICANO UMA HOMENAGEM AOS ATLETAS E MALABARISTAS EM VÍDEO

video

terça-feira, 25 de outubro de 2011

MAIS UMA SOBRE O MAGISTÉRIO E SEU TRISTE FUTURO


O ano é 2.111 - ou seja, daqui a cem anos - e uma conversa entre avô e neto tem início a partir da seguinte interpelação:
– Vovô, por que o mundo está acabando? A calma da pergunta revela a inocência da alma infante.
E no mesmo tom vem a resposta:
 – Porque não existem mais PROFESSORES, meu anjo e está chegando a hora de Jesus voltar.
 – Professores? Mas o que é isso? O que fazia um professor?
O velho responde, então, que professores eram homens e mulheres elegantes e dedicados, que se expressavam sempre de maneira muito culta e que, muitos anos atrás, transmitiam conhecimentos e ensinavam as pessoas a ler, falar, escrever, se comportar, localizar-se no mundo e na história, entre muitas outras coisas. Principalmente, ensinavam as pessoas a pensar.
– Eles ensinavam tudo isso? Mas então eles eram sábios?
– Sim, ensinavam, mas não eram todos sábios. Apenas alguns, os grandes professores, que ensinavam outros professores, alem de dar oportunidade aos seus alunos de serem como eles, estes eram amados, não só pelo seu ensinamento mas também e principalmente pelo carinho do amor de Deus que os iluminava...
– E como foi que eles desapareceram, vovô?
– Ah, foi tudo parte de um plano secreto e genial, que foi executado aos poucos por alguns vilões da sociedade. O vovô não se lembra direito do que veio primeiro, mas sem dúvida, os políticos ajudaram muito. Eles acabaram com todas as formas de avaliação dos alunos, apenas para mostrar estatísticas de aprovação e aceitaram regularizar o tal de ensino NÃO PRESENCIAL, para começar a dispensar o professor, a começar pelo universitário. Assim, sabendo ou não sabendo alguma coisa, os alunos eram aprovados quase por conta própria. Isso liquidou o estímulo para o estudo e apenas os alunos mais interessados conseguiam aprender alguma coisa. Depois, muitas famílias estimularam a falta de respeito pelos professores, que passaram a ser vistos como empregados de seus filhos. Estes foram ensinados a dizer “eu estou pagando e você tem que me ensinar”, ou “para que estudar se meu pai não estudou e ganha muito mais do que você” ou ainda “meu pai me dá mais de mesada do que você ganha cara”. Isso quando não iam os próprios pais gritar com os professores nas escolas. Para isso muito ajudou a multiplicação de escolas particulares, as quais, mais interessadas nas mensalidades que na qualidade do ensino, quando recebiam reclamações dos pais, pressionavam os professores, dizendo que eles não estavam conseguindo “gerenciar a relação com o aluno”. Os professores eram vítimas da violência – física, verbal e moral – que lhes era destinada por pobres e ricos. Viraram saco de pancadas de todo mundo. Além disso, qualquer proposta de ensino sério e inovador sempre esbarrava na obsessão dos pais com a aprovação do filho no vestibular, para qualquer faculdade que fosse. “Ah, eu só quero saber se isso que vocês estão ensinando vai fazer meu filho passar no vestibular”, diziam os pais nas reuniões com as escolas. E assim, praticamente todo o ensino foi orientado para os alunos passarem no vestibular. Lá se foi toda a aprendizagem de conceitos, as discussões de idéias, tudo, enfim, virou decoração de fórmulas. Com a Internet, os trabalhos escolares e as fórmulas ficaram acessíveis a todos, e nunca mais ninguém precisou ir à escola para estudar a sério, o tal ENSINO NÃO PRESENCIAL alcançava também o ensino fundamental e médio. Em seguida, os professores, agora chamados de supervisores ou moderadores, foram desmoralizados. Seus salários foram gradativamente sendo esquecidos e ninguém mais queria se dedicar à profissão. Quando alguém criticava a qualidade do ensino, sempre vinha algum tonto dizer que a culpa era dos que ainda se consideravam professores. As pessoas também se tornaram descrentes da educação, pois viam que as  “bem sucedidas” eram políticos e empresários que os financiavam, modelos, jogadores de futebol, artistas de novelas da televisão etc. – enfim, pessoas sem nenhuma formação ou contribuição real para a sociedade. Ah, mas teve um fator chave nessa história toda. Teve uma época longa chamada nova ditadura, quando os milicos colocaram os professores na alça de mira e quase acabaram literalmente com eles, que foram perseguidos, aposentados no máximo com salário mínimo, expulsos do país, em nome do combate aos subversivos. Eles fracassaram, porque a tal da república sindical se instalou, os tais subversivos tomaram o poder, implantaram uma tal de  “educação libertadora” que ninguém nunca soube o que é, fizeram a aprovação automática dos alunos com apoio dos políticos... Foi o tiro de misericórdia nos já considerados antigos, retrógados e EXTINTOS PROFESSORES.

Este texto, ao qual fizemos algumas adaptações, pertence ao professor Antonio Carlos Moreno e circula na internet desde 2009.  Mas como ele se mantém atualíssimo e de acordo com reiteradas postagens nossas sobre o assunto, com algum conhecimento de causa após 43 anos de atividades didáticas, vale repassá-lo para os nossos seguidores e leitores.

Pensar para acertar. Calar para resistir. Agir para vencer. Orar para Deus perdoar e abençoar.
 “Se você acha que a educação é cara, tenha a coragem de experimentar a ignorância, o analfabetismo."
Derek Bok, ex-presidente da Universidade de Harward.

domingo, 23 de outubro de 2011

UMA REDE DE LOJAS DE AMIGOS

Em toda Teresópolis se encontra uma loja IRENE de cosméticos, produtos de higiene, etc. Preços e atendimento imbatíveis. Abaixo uma foto do seu responsável, o grande e competente Carlos e uma das suas principais funcionárias ou assistentes, a simpática e eficiente Jô. Nosso Blog faz esta homenagem como reconhecimento.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

O TIME DA SAÚDE TAMBÉM TEM O SEU DIA QUE É HOJE

Homenageando o noso Time da Saúde que fez parte de várias postagens com as fotos dos nossos "craques" MÉDICOS e fisioterapeutas, em vez de escalar o TIME TITULAR ATUAL, preferimos redigir uma homenagen a todos eles da forma abaixo:
Acordei hoje com uma saúde de ferro e uma disposição a toda prova para mostrar que tenho gratidão por meu organismo e poder dizer obrigado pela existência e resistência física de meu corpo, alma e espírito. Bem, acredito no que li a respeito do fato de Deus ter criado os pais para se explicar como Ele é nosso Pai Celestial todo poderoso. E, acrescentamos que quando fez as vocações escolheu uma capaz de resolver os detalhes em nosso organismo, deu a eles uma função de sarar, curar, para descansar mais tranqüilo no sétimo dia de criação. E aí, surgiu O MÉDICO ou doutores de todas as especialidades desde o dedinho do pé até o mais tênue fio de cabelo. E nos deu também a memória suficiente em qualquer idade para sempre, nesta data, poder homenageá-los. Viva 18 de outubro, o dia do Médico, o abençoado usado por Deus para descobrir e aliviar nossa dor e operar milagres trazendo esperança a corações desesperançados. Este dia não foi escolhido por ele, pois ele não faz esta escolha de um dia para exercer a sua profissão. Para você meu Doutor, todo dia é dia de aliviar a dor ou até salvar vidas. Desde a criança que veio ao mundo por suas mãos até o idoso, O MÉDICO, depois de Deus e a família, é quem nós mais nos relacionamos, apelamos e consultamos. Aprendemos a agradecer a Deus pelas partes do corpo que estão funcionando bem e usarmos este bendito profissional para tratar das que estão com problemas ou já estão sofrendo o processo natural de desgaste.                                                                                                                   
Concluindo, encontramos uma oração que nosso querido MÉDICO deve estar fazendo neste seu dia: 
Ó Mestre, eu te agradeço porque me entregaste a missão de exercer a medicina, restituir a alegria de viver às pessoas que me são confiadas a qualquer dia, momento e lugar. Ofereço-te a minha vocação de servir à sociedade como instrumento de Tua providência. Grandes são os avanços da ciência, mas também são inúmeros os desafios à limitação humana que exige de mim seriedade, equilíbrio, sabedoria e fidelidade ao juramento que fiz. Ó Deus da vida, ilumina-me e faça de mim um mensageiro de misericórdia e esperança. Que no final de cada jornada eu possa celebrar o renascer da vida, fruto do trabalho e entregar-lhe as situações da minha limitação quando não tiver êxito. Que o Espírito Santo Consolador esteja comigo, pois eu sei que nem sempre é possível para mim curar, mas consolar sim, sempre.  Senhor meu Mestre, que vieste trazer vida e vida em abundância, nada sendo impossível para Ti, torna-me um instrumento de Tua misericórdia. Amém. Obrigado, Senhor!
Prof. Angelo M. Moreira da Rocha

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

PARA O DIA DO PROFESSOR: A PAIXÃO DO MAGISTÉRIO

Desejo prestar homenagem à grandeza de uma postura ideal deste profissional, lembrando que nenhum empecilho pode macular o papel marcante e relevante do professor em qualquer sociedade.
Professores e professoras apaixonadas acordam cedo e dormem tarde, convencidos pela idéia fixa de que podem mover o mundo. Apaixonados, esquecem a hora do almoço e do jantar, estão preocupados com as múltiplas formas que debilitam as inteligências.
Às vezes nem se dão conta que estão apaixonados pela arte de ensinar, que é a arte de dar contexto a todos os textos. Não há pretextos que justifiquem, para os professores apaixonados, um grau a menos de paixão, e não vai nisso nem um pouco de romantismo barato. Este apaixonar-se sai caro, às vezes não dá nem para manter um carro antigo. Os professores apaixonados, com ou sem carro, buzinam no silêncio comodista, dão carona para os alunos que moram mais longe do conhecimento, saem cantando o pneu da alegria. Os olhos dos professores apaixonados brilham quando, no meio de uma explicação, percebem o sorriso do aluno que entendeu algo que ele mesmo, professor, não esperava explicar. Fazem da sala de aula um espaço harmônico de convivência humana, que demonstra como é ruim viver sem amor, ensinar sem paixão.  Dá pena ver o professor desapaixonado, sonhando acordado com a aposentadoria, contando nos dedos os dias que faltam para as suas férias, catando no calendário os próximos feriados.                                                                                                                                                              Os professores apaixonados sabem muito bem das dificuldades, do desrespeito, das injustiças, até mesmo dos horrores que há na profissão. Mas o acréscimo de um salário imaterial que Deus garante ao bom professor lhe permite uma qualidade de vida preciosa. Assim o professor apaixonado continua amando apaixonadamente sem nunca perder a fé, palavra pequena que não se dilui no café fraquinho da sala dos professores, nem se apaga como um traço de giz antigo ela é firme e consciente.                                                                                                                                              Ter fé impede que o medo esmague o amor, que as alienações antigas e novas substituam a lúcida esperança. Dar aula não é contar piada, mas quem dá aula sem humor “não está com nada”. Ensinar é uma forma de oração. Não essa oração de chacoalhar de palavras sem sentido ou jargões repetidos, com voz melosa ou ríspida. Tem que ser uma oração do fundo do coração, repleta de sinceridade, humildade e altruísmo como esta:
Dai-me, Senhor, o dom de ensinar, dai-me esta graça que vem do amor.
Mas, antes do ensinar, Senhor, dai-me o dom de aprender;
Aprender a ensinar, aprender o amor de ensinar.
Que o meu ensinar seja simples, humano e alegre, como o amor.
De aprender sempre, para que persevere mais no aprender do que no ensinar.

Que minha sabedoria ilumine e não apenas brilhe. Que o meu saber não domine ninguém, mas leve à verdade.
Que meus conhecimentos não produzam orgulho, mas cresçam e se abasteçam da humildade.
Que minhas palavras não firam e nem sejam dissimuladas, mas animem as faces de quem procura a luz.
Que a minha voz nunca assuste, mas seja a pregação da esperança que pode ser bem enfática.
Que eu aprenda que quem não me entende, precisa ainda mais de mim;
E que nunca lhe destine a presunção de ser
melhor. Dai-me, Senhor, também a sabedoria do desaprender;
Para que eu possa trazer o novo, a esperança, e não ser um perpetuador das desilusões.
Dai-me, Senhor, a sabedoria do aprender, entender e conhecer;
Deixai-me ensinar para distribuir a sabedoria espiritual (*) do Seu majestoso amor.

(*) Sobre Sabedoria espiritual, Salomão, o homem que a recebeu em maior intensidade e diretamente de Deus deixou sua experiência registrada em Provérbios 2.4,5 e Eclesiastes 12.11-13, da forma como também Isaias profetizou que repousaria esta sabedoria em plenitude no Renovo, nosso Mestre Jesus: Isaias 11.2.

Prof. Angelo M. Moreira da Rocha                                                                                  

domingo, 9 de outubro de 2011

PARA O DIA DAS CRIANÇAS: O AMOR NA ESPERTEZA SENSÍVEL DOS PEQUENINOS


"Amor" foi o tema de pesquisa feita por profissionais de educação e psicologia a um grupo de crianças entre 4 e 8 anos, nos EUA, e transcrita no jornal as respostas sobre: "o que é o amor?"
* Se você quer aprender a amar melhor, você deve começar com um amigo que você não gosta -
   Nikka, 6 anos
* Amor é quando minha avó pegou artrite, ela não podia se debruçar para pintar as unhas dos dedos do pé. Meu avô desde então, pinta as unhas para ela, mesmo tendo dor também - Rebecca, 8 anos
* Amor é quando uma menina coloca perfume e o menino coloca loção pós-barba, aí eles saem juntos e se cheiram – Karl, 5 anos
* Quando alguém te ama, a forma de falar seu nome é diferente – Billy, 4 anos
* Amor é quando você sai para comer e oferece suas batatinhas fritas, sem esperar que a outra pessoa te ofereça as batatinhas dela – Chrissy, 6 anos
* Amor é quando alguém te magoa, e você mesmo muito magoado não grita porque sabe que       isso fere seus sentimentos - Samantha, 6 anos
* Amor é quando minha mãe faz café para o meu pai e toma um gole antes para ter certeza que está do gosto dele - Danny, 6 anos
* Há dois tipos de amor, o nosso amor e o amor de Deus, mas o amor de Deus junta os dois –

   Jenny, 4 anos
* Amor é quando mamãe vê o papai suado e mau cheiroso e ainda fala que ele é mais bonito que o Robert Redford – Chris, 8 anos
* Amor é quando você fala para um garoto que linda camisa ele está vestindo e aí ele a veste todo dia – Noelle, 7 anos
* Quando você ama alguém seus olhos sobem e descem e pequenas estrelas saem de você -
   Karen, 7 anos.
* Amor é quando seu cachorro lambe sua cara e balança o rabo, mesmo depois que você deixa ele sozinho o dia inteiro – Mary Ann, 4 anos
* Eu sei que minha irmã mais velha me ama, porque ela me dá todas as suas roupas usadas e tem que sair para comprar outras – Lauren, 4 anos
* Amor é como uma velhinha e um velhinho que ainda são muitos amigos mesmo se conhecendo
há muito, muito tempo – Tommy, 6 anos
Para acrescentar um exemplo brasileiro do amor e da esperteza da criança, uma que se chama Carlinhos, quando tinha 5 anos gostava muito de ver a lua ao anoitecer por representar para ele a luz romântica do amor e quando a viu de dia pela primeira vez disse:
Pai, esqueceram a lua acessa...
A idade da razão não deve, nem com o passar de muitos anos, retirar de nós o encantamento das belezas da vida e da natureza como tivemos desde pequeninos, e continuar vendo em tudo a mão poderosa e milagrosa de Deus. Por isto que Jesus disse: "Se não vos converterdes e não vos tornardes como CRIANÇAS, de modo algum entrareis no reino dos céus."   

Prof. Angelo M. Moreira da Rocha