sábado, 7 de agosto de 2010

AS “PÉROLAS” DOS VESTIBULANDOS ESTÃO CRESCENDO


Em breve vou comentar melhor a transformação do ensino superior em mercadoria refém dos meios tecnológicos (Educação a Distância e cursos de fim de semana com a substituição da presença do professor pelo computador), em vez de acrescentá-los com equilíbrio. Alem disto, a ganância da crescente administração de conglomerados educacionais nas Instituições de Ensino Superior particulares, está piorando aceleradamente o nível do aluno que chega a uma Faculdade e daquele que sai, mesmo considerando a frouxa e concedente fiscalização atual do MEC.
Assim vamos mostrar um exemplo do que considero PÉROLAS negativas e pitorescas desta “matéria prima” que está chegando à Universidade do saber. Antes de perguntarem como estes “analfabetos funcionais” passam no vestibular é só lembrar que a maioria das Faculdades (e até Centros Universitários) não estabelecem nota mínima de aprovação (chamada de nota de corte, em geral entre 3 e 4), assim basta não tirar zero (acertar uma questão de múltipla escolhida na sorte) e ter vaga que o candidato é aprovado. Os exemplos abaixo foram divulgados pelo colega Prof. José Roberto Mathias de alguns trechos da última prova de redação da Universidade Federal de Minas Gerais (onde existe aquela importante nota mínima) que teve como tema ‘A TV FORMA, INFORMA OU DEFORMA?”:

'A TV possui um grau elevadíssimo de informações que nos enriquece de uma maneira pobre, pois se tornamos uns viciados deste veículo de comunicação'.


'A TV no entanto é um consumo que devemos consumir para nossa formação, informação e deformação'.


“A TV se estiver ligada pode formar uma série de imagens, já desligada não...' (Não diga?)


'A TV deforma não só os sofás por motivo da pessoa ficar bastante tempo intertida como também as vista' (começou o assassinato do idioma!!)


'A televisão passa para as pessoas que a vida é um conto de fábulas e com isso fabrica muitas cabeças' (alta produção esta!)


'Sempre ou quase sempre a TV está mais perto denosco (coitadinho do nosso português ), fazendo com que o telespectador solte o seu lado obscuro' (sem claridade, defeito do tubo??)


'A TV deforma a coluna, os músculos e o organismo em geral' (que estrago, rapaz??)


'A televisão é um meio de comunicação, audição e porque não dizer de locomoção' (Oba, resolve os problemas de trânsito?)


'A TV é o oxigênio que forma nossas idéias' (uma tele-respiração ou inspiração??)


'...por isso é que podemos dizer que esse meio de transporte (de novo?) é capaz de informar e deformar os homens'


'A TV ezerce (coitado do idioma, mais uma facada!) poder, levando informações diárias e porque não dizer horárias' (sutil, esta...)


'E nós estamos nos diluindo (??) a cada dia e não se pode dizer que a TV não tem nada a ver com isso'


'A televisão leva fatos a trilhares (quanto é isto?) de pessoas'


'A TV acomoda aos tele inspectadores' (agora o idioma morreu mesmo!)


'A televisão pode ser definida como uma faca de trezgumes (não conhecia esta utilidade de uma faca??). Ela tanto pode formar, como informar, como deformar'

Um comentário:

  1. Ih, nem leia minha prova do vestibular da Uerj... Só bomba! ehehehehhe

    ResponderExcluir